O controle das finanças para muitas pessoas é um desafio enorme, quantas vezes você já se assustou ao verificar o seu extrato bancário? Ficou avaliando todos os gastos procurando onde foi parar o seu dinheiro? Se isso nunca aconteceu com você é um bom sinal, agora caso isso seja frequente em sua rotina, não se desespere, mas é um sinal que esta na hora de tomar as rédeas das suas contas e entender seu orçamento.

O planejamento financeiro é essencial para todas as pessoas economicamente ativas e deveria ser parte de nossa educação escolar desde a infância, uma boa organização e planejamento financeiro fazem muita diferença na vida de qualquer pessoa e podem ser o divisor de águas para realização de grandes sonhos, ou pelo menos evitar empréstimos, estouro de limite de conta corrente entre outros imprevistos.

Por onde começar?

Muitas pessoas decidem tomar o controle de sua vida financeira, mas escolhem muitas vezes caminhos tão complexos, com tantos controles e lançamentos para organizar que em pouco tempo desistem do processo e abandonam o que haviam começado.

Entendendo seu resultado mensal

O primeiro passo fundamental é entender a sua fonte de renda, lance em uma planilha, ou mesmo anote em um caderno, tudo que você recebeu no mês anterior, seja salário, férias, décimo terceiro, benefícios, rendas extras como aluguel, rendimentos de aplicação financeira, enfim, tudo que você recebeu no mês.

Em seguida, faça o mesmo exercício com os gastos, nesta primeira analise seja bastante criterioso, pegue seu extrato bancário, fatura de cartão de crédito, boletos e contas pagas e lance em uma outra coluna ou página do caderno.

O intuito deste exercício é que você avalie dentro de um mês a principio se seus rendimentos foram maiores que suas despesas, esse indicador já é o primeiro passo para evoluir em seu planejamento.

Elimine Desperdícios

Independente do resultado que obteve no primeiro passo, ao lançar suas despesas seja criterioso e busque por gastos desnecessários que tenha realizado, muitas vezes encontramos diversas armadilhas financeiras nessas análises, tarifas bancárias desnecessárias, anuidades de cartão de crédito, seguros não solicitados, assinaturas de jornais e revistas esquecidos, enfim muitas vezes temos débitos em nossa conta que nem lembrávamos que existiam.

No segundo passo identifique estes gastos desnecessários e tome uma atitude para elimina-los ou reduzi-los, cancele cartões de crédito pouco utilizados, troque seu cartão por opções sem anuidade, negocie sua tarifa bancária, se necessário troque de banco, cancele assinaturas desnecessárias, avalie despesas que não fazem sentido.

Se tiver dívidas, verifique o tipo de juros que está pagando, atrasos em cartão de crédito, utilização de limites de conta corrente, normalmente são grandes vilões por conta dos altíssimos juros cobrados em nosso mercado, troque essas dividas por uma linha de crédito com menor juros imediatamente, para não perder o controle financeiro.

Invista

Ao conseguir equilibrar a balança de receitas maiores que despesas, comece a planejar a aplicação de recursos financeiros, o mais recomendado é que façamos o investimento mensal de 20% de nossa renda para realização de objetivos futuros, seja uma reserva para emergência, aposentadoria, ou mesmo a aquisição de um imóvel, enfim para realização de sonhos e preparação para o futuro.

Mesmo que não consiga inicialmente investir 20% de sua renda, comece com um valor simbólico que seja, e considere como se fosse uma conta a pagar, todos os meses, assim que receber o seu salário ou sua renda, já faça o “pagamento” de seu investimento, faça a aplicação financeira e em longo prazo esse habito será o caminho para sua liberdade financeira.