Precisar de dinheiro é uma situação muito complicada, principalmente quando estamos em uma situação emergencial, com imprevistos e problemas pessoais acontecendo ao mesmo tempo. É muito importante em primeiro lugar manter a calma e lembrar que a tomada de um empréstimo basicamente é a mesma coisa que realizar um investimento, fazer uma compra racional, ou seja é necessário em primeiro lugar fazer contas e tomar uma decisão racional. 

Antes da Decisão de Tomar o Empréstimo

Antes de iniciar o processo de tomada de crédito, avalie todas as alternativas anteriores, através de perguntas básicas:

  • Para que preciso do dinheiro? – Defina claramente o objetivo
  • Essa necessidade é imediata? – Defina o prazo que precisa do valor, quanto menos urgente, mais opções são disponíveis para uma tomada de crédito mais “barata” ou acumulação de recursos
  • Minha Renda atual permite tomada de recursos? – Seu salario ou ganhos atuais permitem o pagamento de uma parcela adicional? Se você já possui muitas dividas, só faz sentido pegar mais um empréstimo se for com taxa de juros menor e para concentrar todas as dividas em uma única, caso contrário é melhor ir por outro caminho.
  • Possuo algum bem disponível para venda? – Um veículo que não é muito utilizado, uma moto, um imóvel de veraneio, podem ser uma alternativa para alguma necessidade que não seja urgente, ou que justifique a venda. Só tenha cuidado para não vender com urgência e perde um valor muito grande na negociação.

Vou Tomar o Empréstimo, por onde começar?

Caso faça a primeira avaliação e perceba que de fato o valor é necessário, é preciso seguir os seguintes passos:

  • Qual linha de Empréstimo Pessoal seguir:

Existem diversos tipos de Empréstimo Pessoal, que se baseiam basicamente no tipo de garantia que a pessoa fornece a instituição financeira. Os principais tipos de garantia são, o Avalista, onde alguém que possua renda assuma a responsabilidade em caso de inadimplência, a Garantia de Imóvel, onde o seu imóvel é alienado ao banco como garantia, a Garantia de Automóvel, onde seu automóvel, ou motocicleta são alienados ao banco como garantia, o empréstimo pessoal consignado, nesta modalidade, caso a empresa onde trabalhe possua convênio com alguma instituição financeira, ou você seja aposentado ou pensionista do INSS, você pode ter as parcelas debitadas diretamente em seu salário ou benefício.

  • Escolhendo a Instituição Financeira:

Após avaliar qual linha de crédito melhor se adequa a sua realidade é importante iniciar o processo de cotação, nunca cote apenas em uma instituição financeira, atualmente existem na internet diversos sites inclusive que facilitam a escolha e comparação entre diversas instituições, para que você possa tomar o crédito com as melhores taxas e condições possíveis.

  • Tomando o crédito:

Após escolher a instituição com as melhores condições de prazo, taxas e confiabilidade, é importante separar toda a documentação necessária para tomada de crédito. Normalmente são necessários:

– Documentos de Identificação Pessoal (RG e CPF)

– Comprovante de Residência em seu nome

– Comprovante de Rendimentos (Holerite, Imposto de Renda e etc.)

– Contrato de Empréstimo assinado

– Documentos relacionados a garantia (documentos do Avalista, documentação do bem em caso de alienação e etc.

  • Lembre-se de nunca fazer nenhum tipo de depósito para garantir liberação do crédito, isso é um dos golpes mais praticados do mercado.

Por fim é importante consciência na tomada de empréstimo, sempre avalie muito bem se conseguirá honrar seus compromissos para que não torne a tomada de crédito um problema invés de solução.