Muita gente realiza uma operação financeira de empréstimo por muitos motivos diferentes, seja realização de um sonho ou uma necessidade pontual é muito importante que a tomada de decisão de tomar o empréstimo seja totalmente racional e que a operação seja um aliado para a realização de seus sonhos e não que se torne um pesadelo. Por esse motivo é muito importante que antes da realização da operação seja realizado com muita atenção um levantamento de todas as taxas envolvidas na operação.

A melhor forma de avaliar um empréstimo em 3 letras – CET

Todos os bancos e instituições financeiras, que realizam empréstimos, são obrigados a fornecer em seu contrato e simulações o CET, Custo Efetivo Total da operação. Esse indicador basicamente mostra todos os custos envolvidos na contratação do Empréstimo, ou seja, a taxa de juros e todas as tarifas e cobranças realizadas pela instituição na operação. Por isso, sempre que for comparar opções de empréstimo, tome o cuidado de comparar CET com CET, ou seja considerar tudo envolvido na operação.

Muitas vezes os bancos abaixam bastante a taxa de juros para atrair clientes, porém compensam isso cobrando outras tarifas na operação que acabam compensando essa redução de outra forma.

O que é levado em consideração para formação do Custo Efetivo Total:

Basicamente no Custo Efetivo Total (CET), são considerados todos os custos envolvidos, sejam tarifas, despesas, seguros além da taxa de juros, vamos listar abaixo quais são:

  • Taxa de Juros: É o principal fator do empréstimo, a taxa de juros indica quanto será cobrado sobre o valor emprestado por um determinado tempo, na maioria dos casos é apresentada em percentuais ao mês ou ao ano.
  • Tarifas: Custos que a instituição financeira pode repassar ao tomador do empréstimo, seja para elaboração da documentação, honorários de consultoria, enfim taxas operacionais.
  • Encargos: Neste item são considerados os impostos cobrados, o IOF – Imposto sobre operações Financeiras é incidente em todas as operações de empréstimo.
  • Seguros: São seguros com caráter de proteção financeira a instituição financeira e ao tomador do crédito, o mais famoso é o Seguro Prestamista, onde dependendo das condições contratadas pode cobrir o pagamento das parcelas em caso de morte, perda de emprego entre outros fatores que podem impactar o compromisso financeiro assumido.

É muito importante levar em consideração todos estes fatores na hora de tomar um empréstimo, muitas vezes as tarifas e seguros envolvidos na operação são tão relevantes que seus custos ultrapassam o valor pago a título de taxa de juros.

Por este motivo sempre desconfie quando estiver negociando um empréstimo e seu gerente de Banco dizer que conseguiu a melhor taxa do mercado, ou verificar aquele anuncio com taxas zero de juros, ou muito baixas. É sempre muito importante verificar o CET, Custo Efetivo Total, para que sua taxa baixa não se torne um monte de tarifas ou seguros com valores totalmente desproporcionais com a operação.

Uma dica importante, a melhor forma de reduzir as taxas ou o prêmio de seguro é a negociação entre diversas instituições, eles possuem bastante margem para negociar essas taxas e normalmente já possuem uma remuneração muito boa nas taxas de juros, portanto não tenha receio de negociar, é a melhor forma de conseguir um bom negocio.