O cartão de crédito é aliado para compras de alto valor e uma importante ferramenta a ser utilizada para emergências ou facilitar a forma de pagamento. No entanto, para utilizar o cartão de crédito e aproveitar ao máximo as vantagens e benefícios que ele pode te proporcionar, é necessário cautela, contas e compromisso.

Todo cartão de crédito possui um limite. Esse limite é calculado com base nos valores depositados na sua conta mensalmente, como, por exemplo, o seu salário. Se o banco avaliar que você recebe a quantia de R$1000 todo mês, definirá um valor máximo de limite para o seu cartão. Conforme ele for avaliando que esse rendimento mensal está aumentando, somado ao fato de que você possui o perfil de manter todas as suas contas em dia, o banco libera mais limite. Hoje em dia, você pode consultar seu limite no próprio aplicativo do banco. Se o banco pré-aprovar um valor de limite maior, esse limite estará disponível para o seu controle no aplicativo.

Mas o que significa Limite do Cartão de Crédito?

O limite é a quantia em R$ que o banco disponibiliza para você por meio do seu cartão de crédito. Ou seja, é como um empréstimo mensal que você quita a cada mês, ao pagar as faturas.

Funciona assim: você tem um cartão de crédito com limite de R$1000,00. Esse valor não é seu. Esse valor foi emprestado a você pelo banco. Se você utilizar qualquer quantia limitada a R$1000,00, terá de arcar com o pagamento na hora da fatura.

Se comprar um tênis de R$200,00 e passar esse valor no crédito, esse valor será subtraído do seu limite. Ou seja, resta no seu cartão o valor de R$800,00. Seu cartão só voltará a ter R$800,00 de limite quando você pagar a fatura. Ao quitar esse R$200,00, o cartão vira e volta a contabilizar R$1000,00.

Como funciona o limite do Cartão de Crédito?

Ter um cartão de crédito é muito vantajoso, pois além de te dar mais segurança – já que você não precisa andar com dinheiro vivo na mão, te proporciona maior poder de compra, facilita seu pagamento e concentra tudo em uma única conta, que você pode facilmente acompanhar e administrar por meio de um aplicativo.

Você pretende comprar um Notebook no valor de R$1000,00, por exemplo. Mas não tem R$1000,00 para pagar à vista. Dessa forma, para não prejudicar seu orçamento no mês, você pode parcelar a compra no seu cartão. Geralmente, é possível parcelar em até 10X sem juros. Varia segundo a condição da loja. Ao parcelar os R$1000,00 em 10x, significa que a cada fatura do seu cartão, você terá R$100,00 para pagar. Veja bem: se o seu cartão possui R$1000,00 de limite e você já utilizou os R$1000,00, você não tem mais limite para utilizar o seu cartão. Os valores só serão liberados conforme você for pagando as parcelas. Por exemplo: ao pagar a primeira parcela de R$100,00, quando o seu cartão virar, você terá R$100,00 novamente para utilizar. E assim por diante.

Nessa facilidade de compra proporcionada pelo cartão de crédito, há muita gente que se enrosca e acaba gastando mais do que pode pagar. E, muitas vezes, não tem condições de arcar com o valor da fatura e resolve parcelar a própria fatura. É aí que mora o perigo! Você começa a pagar juros, geralmente uma taxa altíssima, e enquanto não mudar de hábitos, vai se enrolando financeiramente cada vez mais, até que, quando você vê, já se tornou uma bola de neve.

Como não se enrolar com o limite do Cartão de Crédito?

Para não se enrolar com o limite do cartão e evitar o pagamento de juros exorbitantes, tendo mais controle sobre suas finanças, é necessário mais do que calculadora e controle. É necessário autocontrole!

Isso porque você precisa avaliar o motivo que te levou a gastar mais do que ganhar. Foi uma emergência ou foi por descontrole?

Emergências acontecem, e às vezes não tem jeito. Mas tudo bem! O cartão de crédito está ali para isso. Embora muitas vezes, seja mais compensador realizar uma simulação de empréstimo do que ter de arcar com os juros de uma fatura não paga.

Quando você deixa de ter o controle necessário por conta de uma emergência, é mais fácil de “corrigir”, uma vez que foi algo esporádico. Mas quando o motivo é a compra por impulso, a falta de controle e a falta de programação financeira, é necessária uma mudança de hábito. E isso requer muita conta e abdicação.  

Para evitar chegar nesse momento, o jeito é nunca gastar mais do que se ganha, ainda que o cartão de crédito possibilite isso. Lembre-se: no fim do mês a fatura chega e você terá de arcar com o valor.

O cartão de crédito deve ser utilizado para te dar poder de comprar e possibilitar que você consiga conquistar o que pretende dentro de uma forma de pagamento facilitada. Mas, neste caso, você precisa constantemente avaliar e projetar as faturas no mês, somando os gastos de rotina (aluguel, água, contas), mantendo assim, uma vida financeira estável.

Outra forma de poupar, é optar por cartões de crédito sem anuidade. Dessa forma, você evita ter de arcar com outra conta.

Lembre-se: a desordem nas suas finanças interfere em todas as outras áreas da sua vida, prejudicando relacionamentos interpessoais e trazendo aquela sensação de sempre estar devendo algo para alguém.

Energize-se! Encontre a solução para quitar de uma vez por todas as suas dívidas e recomece sua vida de forma calma e equilibrada.

Isso não significa que você precisa deixar de usar o cartão de crédito. Mas sim que você precisa ter as suas finanças sob controle. E não o contrário. Pense nisso 😉